Calor mata trabalhadores migrantes no Catar

Ao menos 571 trabalhadores nepaleses morreram no Catar, vítimas de parada cardíaca nos últimos oito anos – e mais de 200 desses casos provavelmente se devem à insolação, segundo indica um estudo recente.

Ou seja, essas mortes talvez pudessem ter sido prevenidas se esses trabalhadores não tivessem tido de trabalhar sob altas temperaturas – que chegam a 50°C no Catar.

O país proíbe trabalhos do tipo no verão ou quando o calor supera 32,1°C, mas uma investigação da BBC aponta que parte das mortes por insolação está subnotificada.

Dhan Bahadur morreu oficialmente de parada cardíaca, mas tinha apenas 31 anos e sua mulher diz que ele sofria constantemente com os efeitos do calor.

Outro trabalhador diz que foi detido no Catar depois de se queixar de suas condições de trabalho.

Por causa das mudanças climáticas, países do Golfo Pérsico – incluindo os Emirados Árabes Unidos – estão esquentando a uma taxa duas vezes maior que a média global.

Ao mesmo tempo, há mais de 14 milhões de trabalhadores migrantes no Golfo, que usam o dinheiro para enviar a suas famílias, a maior parte delas na Ásia e na África.

Confira no vídeo.

Curtiu? Inscreva-se no canal da BBC News Brasil! E se quiser ler mais notícias, clique aqui: https://www.bbcbrasil.com

#bbcnewsbrasil #aquecimentoglobal #catar

You May Also Like