E Tem Mais: Protestos na Copa: restrições a símbolos LGBTQIA+ motivam críticas no torneio

Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um panorama das críticas enfrentadas pelos organizadores da Copa do Mundo no Catar devido às restrições à exibição de símbolos de apoio à comunidade LGBTQIA+ no país.

Os jogadores da seleção da Alemanha taparam a boca ao posar para a foto antes da estreia no Mundial, em protesto contra a decisão da Fifa de ameaçar punir o uso de uma braçadeira de capitão com as cores da campanha “One Love”, em apoio a pessoas LGBTQIA+.

Além das queixas contra a falta de avanços na agenda de direitos humanos no país, a Copa no Catar também tem encontrado dificuldades para reproduzir nas arquibancadas o clima de euforia entre os torcedores comum nos Mundiais. Nos primeiros jogos do torneio, as câmeras de TV mostraram parte do público deixando o estádio durante as partidas.

Para descrever o impacto dos problemas extracampo na Copa de 2022, participam deste episódio o diretor da Ligay (associação que organiza campeonatos de futebol voltados para pessoas LGBTQIA+), Ronaldo Nascimento, e o repórter Anthony Wells, apresentador do CNN na Copa. #CNNBrasil

Inscreva-se no canal da CNN Brasil no YouTube.

ACOMPANHE A CNN BRASIL TAMBÉM NAS OUTRAS PLATAFORMAS:
Podcasts: https://www.cnnbrasil.com.br/podcasts/
Newsletters: https://newsletter.cnnbrasil.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/cnnbrasil
Twitter: https://www.twitter.com/cnnbrasil
Instagram: https://www.instagram.com/cnnbrasil

You May Also Like